29 de dezembro de 2007

Por isso, Somente...

"Ama-me por Amor Somente"

Ama-me por amor somente.
Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,
o seu sorriso, o modo de falar
honesto e brando. Amo-a porque se sente
minh'alma em comunhão constantemente
com a sua".

Porque pode mudar
isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
de tuas mãos enxuga, pois se em mim
secar, por teu conforto, esta vontade
de chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
me hás de querer por toda a eternidade.

Madre Teresa de Calcutá


Pra onde foi o 'chão'??!!

"Ouviu-se um som em Ramá,
o som de um choro amargo.
Era Raquel
chorando pelos seus filhos;
ela não quer ser consolada..."

27 de dezembro de 2007

Boa Noite

tudo ressoa
cada pessoa
responde ao som do trovão
quero as estrelas
preciso vê-las
trago perguntas nas mãos
veja que o tempo nao pára
mesmo que a noite perdure
olha a alegria na cara
feito manhã a subir
vem criança vem dançar
ninguém é senhor nesse mar
se o batuque é de escravo
toda esperança é de rei
sou capitão da noite
sou lua agora em surdina
voz da minha sina
soando aquilo que sou
vim pra deixar na madrugada
uma pegada de calor
vim pra saber o que restará
quando calar-se o tambor

(Chico Amaral)

"Le Fabuleux Destin...??"


Se a felicidade é isso...

Beleza E Canção
Fernando Brant
Nada de novo no meu mundo
Eu vivo o segundo
Meu tempo é o meu lugar
Nada me tira do meu rumo
Eu sigo o meu prumo
O meu jeito de ser
Nada espero que não tenha
O que vier que venha
Sem me atropelar
Tudo que quero é o mar aberto
É ter você bem perto
Olhar o seu olhar
Tudo é novo no meu mundo
Se seu sono profundo
Entrar no meu sonhar
Sua beleza me domar
Sua beleza me amar
Toda beleza é um espinho
Se ela está sozinha
Sem ninguém desfrutar
Toda beleza é tristeza
Se não tem a certeza
De alguém comtemplar
Toda beleza é uma chama
Que, acende e inflama
Paixão de encontrar
Toda beleza é uma alegria
Que incendeia o dia
Faz a vida cantar
Tudo é belo no meu mundo
E cabe no meu canto
No meu tempo e lugar
Tudo é claro no caminho
Se não estou sozinho
E alguém vai aguardar
Nada de novo no meu mundo
E o sol a cada dia
Na noite a escuridão
Tudo de novo no meu mundo
Comigo eu começo
Beleza e canção

23 de dezembro de 2007

Quanto custa? Nada?


Ah! Se o mundo inteiro me pudesse ouvir
   Tenho muito pra contar
Dizer que aprendi

E na vida a gente tem que entender
Que um nasce pra sofrer
Enquanto o outro ri

Mas quem sofre sempre tem procurar
Pelo menos vir a achar
Razão para viver

Ver na vida algum motivo pra sonhar
Ter um sonho todo azul
Azul da cor do mar

(Azul da Cor do Mar - Tim Maia)


22 de dezembro de 2007

Natal...

"De Adão e Eva Deus fez nascer a humanidade.
Com Maria e José Deus fez nascer a Salvação da humanidade.
Cada um de nós faz parte deste plano de Deus.
Somos seus filhos, resgatados por Jesus.
A cada dia que passa estamos mais perto de estarmos na casa do Pai...
Estejamos atentos, caminhemos na mesma direção!
Deus quer nos reunir em sua casa, no céu...
... e é somente por isso que existe o Natal:
a Festa de Deus Pai reconciliando consigo seus filhos!"

Então, um Natal 'diferente' pra todos, afinal... "estamos indo de volta pra casa..."
Comunhão, serviço, adoração, aprendizagem... corações aquecidos pelo amor que provém de Deus... Nossa 'viagem', assim, será mais 'graciosa'... ;)

15 de dezembro de 2007

... a tão sonhada 'comunicação'!!!

[...] existe a barreira entre a imagem e a linguagem. A mente pensa em imagens, mas para se comunicar com outra deve transformar a imagem em pensamento e depois o pensamento em linguagem. Essa marcha, da imagem para o pensamento e para a linguagem, é traiçoeira. Acidentes acontecem: a rica e macia textura da imagem, sua extraordinária plasticidade e flexibilidade, suas nuanças emocionais e nostálgicas, privadas – todas são perdidas quando a imagem é transformada à força em palavras.
Os grandes artistas tentaram comunicar a imagem diretamente por meio da sugestão, metáfora, de façanhas lingüísticas que pretendiam evocar uma imagem similar no leitor. Mas eles acabaram compreendendo a inadequação de seus instrumentos para a tarefa. Ouçam o lamento de Flaubert, em Madame Bovary:

Enquanto a verdade é a
plenitude da alma que pode às vezes transbordar na pura insipidez da linguagem, pois nenhum de nós pode jamais expressar a exata medida de suas necessidades ou de seus pensamentos ou de suas tristezas, e a fala humana é como um tambor rachado em que tamborilamos ritmos ásperos para os ursos dançarem, desejaríamos compor uma música que derretesse as estrelas...
(O Carrasco do Amor, Irvin D. Yalom - pg. 195)

8 de dezembro de 2007

Tem Sentido??

Rua Da Passagem (trânsito)
Arnaldo Antunes / Lenine

Os curiosos atrapalham o trânsito
Gentileza é fundamental
Não adianta esquentar a cabeça
Não precisa avançar no sinal
Dando seta pra mudar de pista
Ou pra entrar na transversal
Pisca alerta pra encostar na guia
Pára brisa para o temporal
Já buzinou, espere, não insista,
Desencoste o seu do meu metal
Devagar pra contemplar a vista
Menos peso do pé no pedal
Não se deve atropelar um cachorro
Nem qualquer outro animal

Todo mundo tem direito à vida,
Todo mundo tem direito igual!

Motoqueiro caminhão pedestre
Carro importado carro nacional
Mas tem que dirigir direito
Para não congestionar o local
Tanto faz você chegar primeiro
O primeiro foi seu ancestral
É melhor você chegar inteiro
Com seu venoso e seu arterial
A cidade é tanto do mendigo
Quanto do policial

Todo mundo tem direito à vida
Todo mundo tem direito igual

Travesti trabalhador turista
Solitário família casal
Todo mundo tem direito à vida,
Todo mundo tem direito igual!

Sem ter medo de andar na rua
Porque a rua é o seu quintal
Todo mundo tem direito à vida,
Todo mundo tem direito igual!

Boa noite, tudo bem, bom dia,
Gentileza é fundamental
Pisca alerta pra encostar na guia
Com licença, obrigado, até logo, tchau.

Construção...

Salvapantallas
Jorge Drexler

Tengo tu voz, tengo tu tos,
oigo tu canto en el mío...

Rumbos paralelos, dos anzuelos
en un mismo río...

Vamos al mar, vamos a dar cuerda,
a antiguas vitrolas...

Vamos pedaleando contra el viento,
detrás de las olas...
Tengo una canción para mostrarte,
talvez cuando vaya....
Tengo tu sonrisa en un rincón
de mi salvapantallas...

Años atrás de pronto la casa
se llenó de canciones...

Músicas y versos que brotaban
desde tantos rincones...
Vamos al mar, vamos a dar guerra
con cuatro guitarras...

Vamos pedaleando contra el tiempo,
soltando amarras...
Brindo por las veces que perdimos
las mismas batallas...
Tengo tu sonrisa en un rincón
de mi salvapantallas...

7 de dezembro de 2007

Um anjo...

Enquanto houver você do outro lado
Aqui do outro eu consigo me orientar...
A cena repete, a cena se inverte,
enchendo a minha alma d'aquilo que outrora eu

deixei de acreditar...

tua palavra, tua história,
tua verdade fazendo escola,
e tua ausência fazendo silêncio em todo lugar...

metade de mim agora é assim:
de um lado a poesia, o verbo, a saudade,
do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim...


e o fim é belo, incerto... depende de como você vê...
o novo, o credo, a fé que você deposita em você e só...

Só enquanto eu respirar
Vou me lembrar de você!
Só enquanto eu respirar...

(O Anjo Mais Velho - Teatro Mágico)

3 de dezembro de 2007

Quem inventou??


"In..."


Há...
... muitas coisas para serem ditas,
talvez apenas algumas...
... nada está claro no turbilhão...
Melhor aguardar a brisa calma...
... o sossego...
De onde virá? Quando?
Eis...
... o mistério, a busca...
... (d)a vida...
Pra que toda esta intensidade?
Esta vontade de...
...
...
...
ser e estar...(?)

22 de novembro de 2007

... pelo dom da "eterna vida"...

... sempre graças hei de dar!!!
Mesmo sendo Lei Nacional, nos calendários não constam referências ao 'Dia Nacional de Ação de Graças', como falou um amigo meu: "[...]deveria estar lá; não é feriado, mas traz uma idéia tão importante para todo o povo que é 'gratidão'". Bem sabemos nós que, normalmente, nossa balança pende mais para o lado dos pedidos, e não dos agradecimentos (corrijam-me se estiver equivocada...). Penso que a idéia de 'verbalizar' ou 'grafar' nossos motivos de gratidão seja um bom exercício, para trazermos à memória tudo que temos recebido dia-a-dia...
Citando Paulo, "não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e sempre orem com o coração agradecido". E, ainda, "aprendi a viver contente em toda e qualquer situação".
"Não precisamos semear cardos e espinheiros; eles brotam naturalmente, porque são nativos. De igual modo, não precisamos ensinar os homens a se queixarem; eles reclamam imediatamente, sem qualquer aprendizado. Mas as coisas preciosas da terra devem ser cultivadas. Se quisermos ter grãos, devemos arar e semear; se desejamos flores, precisamos ter jardim e todos os cuidados de jardinagem. De igual modo, o contentamento é uma das flores do céu, e, se pretendemos tê-lo, devemos cultivá-lo. Ele não crescerá em nós naturalmente; é somente a nova natureza que pode produzi-lo, e assim mesmo devemos ser especialmente cuidadosos e vigilantes para manter e cultivar a graça que Deus semeou em nós". (C. H. Spurgeon - 'Meditações Matinais')

A cada manhã...

É bom dizer “Muito obrigado, Senhor!”,
agradecer e cantar hinos a ti, ó Eterno Deus.
É bom contar aos outros, cedo de manhã,
sobre o teu amor cuidadoso e constante.
À noite, é bom falar sobre a tua fidelidade.
É bom cantar ao Senhor, ao som de
instrumentos de dez cordas, da lira e da harpa.
Quanta coisa boa fizeste [e fazes] para
minha felicidade, ó Senhor! Meu coração
canta de alegria por causa das tuas obras.
Como são maravilhosos os teus feitos, ó Senhor!
Como são sábios e profundos teus pensamentos!
Salmo 92

O amor do Deus Eterno não se acaba,
e a sua bondade não tem fim.
Este amor e esta bondade são novos todas as manhãs;
e como é grande a fidelidade do Deus Eterno!!

Ele é "A Maravilha do Mundo"!!!

Dia de Ação de Graças
A origem da comemoração do dia de ação de graças remonta há milhares de anos, quando povos antigos se reuniam para festejar a colheita de seus cereais, base de sua alimentação e subsistência. Porém, tomou
incremento, nos tempos modernos, quando um grupo de protestantes, em 1620, abandonou a Inglaterra devido à perseguições religiosas rumo a América, a Plymounth, Massachussetts. Eram 102 pessoas que viajaram no
navio Mayflowers e eram chamados “os puritanos”.
Vindos para uma terra estranha e selvagem, muito sofreram ante as intempéries do tempo e da falta de experiência no cultivo da terra e tendo ainda que construir suas casas antes que o inverno chegasse. Muito os
ajudaram os índios americanos, que lhes ensinaram a lavrar a terra, a plantar e a caçar. Porém, mais da metade destes peregrinos morreu antes da primeira colheita pelas doenças e outras causas. No ano seguinte, 1621, quando chegou a época de colher os frutos da terra, ficaram maravilhados com a fartura. Após a colheita eles se reuniram para comemorar e agradecer a Deus por aquela bênção e pela terra que haviam escolhido para sua pátria. O presidente George Washingtom fez uma proclamação a favor da festividade ficando escolhida a
última quinta-feira de novembro para expressar a gratidão nacional.
No ano de 1909, Joaquim Nabuco, embaixador do Brasil nos Estados Unidos assistiu o culto de ação de graças e impressionado declarou: “Quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal
agradecimento a Deus”. Mas foi o presidente Eurico Gaspar Dutra que institui o Dia Nacional de Ação e Graças, em 17 de agosto de 1949, cuja lei n 781 foi regulamentada a 19 de novembro de 1965 pelo então presidente, Castelo Branco, quando se oficializou a quarta quinta-feira do mês de novembro para a comemoração em todo o território nacional.
O Dia Nacional de Ação de Graças é um momento especial para agradecer por todas as maravilhas que nos cercam (Ts 5,16-18) , pela grande dádiva da vida, pela grandiosidade da criação e evolução do universo, pelas
belezas da natureza, por todos os talentos e dons presenteados a humanidade (Sl 117). Dia em que todos devem fazer uma pausa em seus afazeres, independente da fé ou crenças, e refletir, agradecer a Deus por todos os bens
recebidos: a fé, a saúde, o amor, a pátria, o trabalho, a família, pelo conforto e auxílio nas dificuldades e provações cotidianas, e através de sua espiritualidade própria e peculiar dar graças. Acompanhar a atitude de todos os povos que no decorrer da história demostram reconhecer a bondade de Deus e com hinos e cantos, orações e contemplação, dar-se conta de sua presença e atuação em nossas vidas, interagindo conosco e mostrando-se sempre carinhoso, revelando que tudo provém e manifesta seu infinito amor.

21 de novembro de 2007

Enigma...

Faço e ninguém me responde
esta perguntinha à-toa:
Como pode o peixe vivo
morrer dentro da Lagoa?

Carlos Drummond de Andrade

Nós em Nós...

Colo teus pedaços. Unidade
estranha é a tua, em mundo assim pulverizado.
E nós, que a cada passo nos cobrimos
e nos despimos e nos mascaramos,
mal retemos em ti o mesmo homem,
aprendiz
bombeiro
caixeiro
doceiro
emigrante
forçado
maquinista
noivo
patinador
soldado
músico
peregrino
artista de circo
marquês
marinheiro
carregador de piano
apenas sempre entretanto tu mesmo,
o que não está de acordo e é meigo,
o incapaz de propriedade, o pé
errante, a estrada
fugindo, o amigo
que desejaríamos reter
na chuva, no espelho, na memória
e todavia perdemos.

trecho de "Canto ao Homem do Povo Charles Chaplin" - Carlos Drummond de Andrade

19 de novembro de 2007

"+"

"Muitas vezes pensamos que, quando terminamos de estudar o um,
já sabemos tudo sobre o dois, porque 'dois é um mais um'.
Esquecemos que ainda temos de estudar o 'mais'.
Sir Arthur Eddington


17 de novembro de 2007

...

"Somente a ti, ó Deus Eterno, a ti somente,
e não a nós, seja dada a glória
por causa do teu amor e da tua fidelidade".
Salmo 115.1

Saber 'de cor'...

Maneira Simples
Nada é mais real que aprender maneira simples de viver.
Tudo é tão normal se a gente não se cansa nunca de aprender...
Sempre olhar como se fosse a primeira vez,
Se espantar como criança a perguntar porquês...
Vamos flutuar em um balão que sobrevoa o amanhecer;
Vamos navegar entre os navios no horizonte a se perder.
Nos lembrar que tudo tem sua razão de ser...

(Almir Sater E Paulo Simões)

13 de novembro de 2007

Entre vagalumes...

Brincando de correr entre vagalumes,
sem querer, pegamos uma estrela baixa...
Roubamos todas as flores pra esconder perfumes,
estrelas-vagalumes dentro de uma caixa...


E foi até estranho, a gente nem deu conta,
talvez na outra ponta alguém pudesse pensar:
menino vagalume, flor, menina estrela,

a brisa mais forte veio te buscar...

Pra temperar os sonhos e curar as febres,
inserir nas preces do nosso sorriso,
brincando entre os campos das nossas idéias,
somos vagalumes a voar perdidos...

E quando a gente apaga, tudo fica escuro,
Mas o medo não vence pois não estamos sós...
Por de cima do muro a gente enxerga o mundo,
a fábrica de Deus fazendo gente do pó.

Deixa pra lá o que não interessa,
a gente não tem pressa de viver assim
Feito platéia da nossa própria peça,
histórias, prosas, rimas, sem começo e fim...

Pra temperar os sonhos e curar as febres,
inserir nas preces do nosso sorriso,
brincando entre os campos das nossas idéias,
somos vagalumes a voar perdidos...

12 de novembro de 2007

Acorde(s)...!!!

Dia de trocar as cordas... do violão...
Antigo som com novo brilho...
Novas canções antigas reapreendidas...
Relembradas... Recriadas... Relidas...
Novo jeito de olhar/ouvir...
Qualificar... Rumos, sonhos, sons...
É...
... cuidar de quem está aos nossos cuidados...

9 de novembro de 2007

Poema de Natal...

por Vinícius de Moraes...

Para isso fomos feitos:
para lembrar, e ser lembrados,
para chorar e fazer chorar,
para enterrar os nossos mortos...
Por isso temos braços longos para os adeuses,
mãos para colher o que foi dado,
dedos para cavar a terra...
Assim será a nossa vida:
uma tarde sempre a esquecer,
uma estrela a se apagar na treva,
um caminho entre dois túmulos...
Por isso precisamos velar,falar baixo,pisar leve,
ver a noite dormir em silêncio,
não há muito o que dizer:
uma canção sobre um berço,
uma verso talvez de amor,
uma prece por quem se vai...
mais que essa hora não esqueça
e por ela os nossos corações se deixem graves e simples,
pois para isso fomos feitos:
para a esperança do milagre,
para a a participação da poesia,
para ver a face da morte.
De repente nunca mais esperaremos!
Hoje a noite é jovem
Da morte apenas nascemos...imensamente...

8 de novembro de 2007

Cuidado...

Cuida De Mim
Fernando Anitelli
"O Teatro Mágico"

Pra falar verdade, às vezes minto,
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto...
Pra dizer, às vezes, que às vezes não digo,
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo...

"Tanto faz" não satisfaz o que preciso,
Além do mais, quem busca nunca é indeciso...
Eu busquei quem sou,
Você pra mim mostrou
Que eu não sou sozinha nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você...
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser...
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você...
Cuida de mim enquanto finjo... Enquanto fujo...

Basta as penas que eu mesmo sinto de mim,
Junto todas, crio asas, viro querubim,
Sou da cor do tom, sabor e som que quiser ouvir,
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir...

Quero mais, quero a paz que me prometeu,
Volto atrás se voltar atrás assim como eu...
Busquei quem sou,
Você pra mim mostrou
Que eu não estou sozinha nesse mundo...

Cuida de mim enquanto não me esqueço de você...
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser...
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você...
Cuida de mim enquanto finjo... Enquanto fujo...

4 de novembro de 2007

Matemática...

- Bom dia - disse o pequeno príncipe.
- Bom dia - disse o vendedor.
Era um vendedor de pílulas especiais que saciavam a sede. Toma-se uma por semana e não é mais preciso beber.
- Por que vendes isso? - perguntou o principezinho.
- É uma grande economia de tempo - disse o vendedor. - Os peritos calcularam. A gente ganha cinqüenta e três minutos por semana.
- E o que se faz com esses cinqüenta e três minutos?
- O que a gente quiser...
"Eu", pensou o pequeno príncipe, "se tivesse cinqüenta e três minutos para gastar, iria caminhando calmamente em direção a uma fonte..."
(O Pequeno Príncipe, pg. 76, cap. XXIII)

31 de outubro de 2007

Senhoras e Senhores... Respeitável Público!!!

Mais E Menos
(O Teatro Mágico - http://www.oteatromagico.mus.br/)

Afinidade acontece. Um mesmo signo, um mesmo par de
sapatos caramelo, um mesmo livro de cabeceira.
Afinidade acontece entre seres humanos. A mesma frase
dita ao mesmo tempo, o diálogo mudo dos olhares e a
certeza das semelhanças entre o que se canta e o que
se escreve. Afinação acontece. Um mesmo acorde, um
mesmo som, uma mesma harmonia. Afinação acontece entre
instrumentos musicais. A mesma nota repetidas vezes, a
busca pela perfeição sonora e a certeza das
similaridades entre um tom acima e um tom abaixo. A
incrível mágica acontece quando os instrumentos
musicais descobrem afinidades humanas entre si no
mesmo instante em que os seres humanos descobrem
afinações musicais dentro deles mesmos.

29 de outubro de 2007

"Fica quietinha...! Escuta..."

Como é bom receber carinho...



Reflexos E Reflexões
Paulinho Moska

Diga aí, amiga...
Como vai você?
Estou aqui contigo,
Você também me vê...
Às vezes sou seu clone
E você é o meu;
Não temos o mesmo nome,
Mas nossa vida se perdeu
Em encontros e desencontros,
Do mesmo sopro
Que atravessa eu e você;
Se estou contigo
É porque estás comigo,
E nós não podemos nos perder... :)

26 de outubro de 2007

Cronologia...

Todos os dias quando acordo,
Não tenho mais o tempo que passou...
Mas tenho muito tempo:
Temos todo o tempo do mundo...!
Veja o sol dessa manhã tão cinza:
A tempestade que chega é da cor dos seus
Olhos castanhos...

Então me abraça forte
E diz mais uma vez
Que já estamos distantes de tudo:
Temos nosso próprio tempo...
(Renato Russo)

"Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração das pessoas, sem que estas possam descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até o fim. [...] Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças... [...] Senhor, tu tens sido o nosso refúgio. Antes que os montes existissem e antes de começares a criar o mundo, tu és Deus eternamente, sem começo nem fim. Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio. Alimenta-nos de manhã com o teu amor, até ficarmos satisfeitos, para que cantemos e nos alegremos a vida inteira."
(Salmos e Eclesiastes)

24 de outubro de 2007

Desde a infância...

"... continue firme nas verdades que aprendeu e em que creu com todo o coração. Você sabe quem foram os seus mestres na fé cristã. E, desde menino, você conhece as Escrituras Sagradas, que lhe podem dar a sabedoria que leva à salvação, por meio da fé em Cristo Jesus. Porque toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. [...] Porque virá o tempo em que as pessoas não escutarão o verdadeiro ensinamento, mas seguirão os seus próprios desejos. E juntarão para si mesmas muitos mestres, que vão dizer a elas o que querem ouvir. Essas pessoas deixarão de ouvir a verdade e escutarão as lendas. Mas você, seja ajuizado em todas as situações."
(Segunda carta do Apóstolo Paulo a Timóteo, 3.14-16; 4.3-5; Bíblia Sagrada)

21 de outubro de 2007

Filosofia Objetiva

Desculpe-me minha amiga Helena, mas... também preciso falar sobre estes versos, comentados por ela (www.biolirios.wordpress.com) algum tempo passado...
Inspirado poeta que construiu essa preciosidade sobre a vida, em letra e música... Ainda não vivo de acordo, mas, creio ser uma aprendizagem digna de investimento pessoal...

Tocando em Frente
(Renato Teixeira)


Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso porque já chorei demais...
Hoje me sinto mais forte, mais feliz (quem sabe?!),
Eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei, nada sei...

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs...
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder seguir,
É preciso chuva pra poder florir...

Sinto que seguir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha, ir tocando em frente...
Como um velho boiadeiro levando a boiada,
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou, estrada eu sou...


[...]
Todo mundo ama um dia, todo mundo chora,
Um dia a gente chega e no outro vai embora...
Cada um de nós compõe a sua própria história,
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz, de ser feliz...

20 de outubro de 2007

Mistérios...

A mais bela sensação que podemos experimentar é o mistério...
É a fonte de toda a ciência e arte verdadeiras. Aquele a quem essa
sensação é estranha, que já não consegue deter-se perplexo e tomado
pelo espanto, é semelhante ao morto: seus olhos estão fechados.
Albert Einstein

Às vezes critico os mistérios; às vezes, os aceito. Parto do pressuposto de que humildade é a reação adequada de uma criatura para com Deus. [...] É surpreendente, mas o Criador raramente impõe-se às suas criaturas. É preciso haver atenção e esforço de nossa parte para atendermos à orientação "Lembre-se do seu Criador", pois o Criador retira-se silenciosamente para os bastidores. Deus não força, sobre nós, sua presença. Quando deuses inferiores nos seduzem, Deus se retira, respeitando nossa inexorável liberdade para ignorá-lo.
(Philip Yancey, em 'Rumores de Outro Mundo', editora Vida)
"Ó, Deus Eterno, ensina-me os teus caminhos; faze que eu os conheça bem.
Ensina-me a viver de acordo com a tua verdade." Salmo 25.4-5

18 de outubro de 2007

Necessidades Básicas...

Temos?
Quais seriam...? As minhas... as tuas... as nossas...?
O que é realmente...
Que arte é respeitar e suprir as diferentes/semelhantes necessidades básicas de cada um enquanto a vida é vivida...


15 de outubro de 2007

Prelúdio Terabitiano...

Esses feriados prolongados normalmente proporcionam bons momentos... Não penso em grandes eventos, mas em situações que, no decorrer normal do calendário, se tornam menos freqüentes... A gente consegue parar um pouco mais para reabastecer as energias...
Não sei... Fiquei com vontade de escrever sobre "pontes"... Mas ainda não formulei um pensamento coerente... Tentarei construí-lo...
Tem também a tal "Matemática da Graça", que definitivamente não é uma ciência exata, mas uma aventura cheia de surpresas... (70x7)Hehehe...
Por enquanto...: "mudaram as estações, nada mudou, mas eu sei que alguma coisa aconteceu: tá tudo assim... tão diferente..."
Será que alguém consegue... (?) Não... acho que não...
To viajando... Espero que não seja tarde pra desejar um feliz dia das crianças às "crianças" que passam por aqui... ;)

Flores na cabeça,
Nossos pés descalços...
Nossa vida toda
De paz e amor...!!!

11 de outubro de 2007

Há um rio... cujas correntes alegram...

O Rio
Seu Jorge, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes, Marisa Monte

Ouve o barulho do rio, meu filho,
Deixa esse som te embalar...
As folhas que caem no rio, meu filho,
Terminam nas águas do mar!
Quando amanhã por acaso faltar
Uma alegria no seu coração,
Lembra do som dessas águas de lá,
Faz desse rio a sua oração.
Lembra, meu filho, passou, passará,
Essa certeza, a ciência nos dá:
Que vai chover quando o sol se cansar,
Para que flores não faltem jamais!

10 de outubro de 2007

Fio da Meada...

Bola de Meia, Bola de Gude
(14 BIS)

Há um menino, há um moleque, morando sempre no meu coração,
Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão!!
Há um passado no meu presente, o sol bem quente lá no meu quintal,
Toda vez que a bruxa me assombra o menino me dá a mão...


Ele fala de coisas bonitas, que eu acredito que não deixarão de existir:
Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor...
Pois não posso, não devo, não quero viver como toda essa gente insiste em viver;
Não posso aceitar sossegado qualquer maldade ser coisa normal!!

Bola de meia, bola de gude, o solidário não quer solidão,
Toda vez que a tristeza me alcança o menino me dá a mão...


"Jesus chamou uma criança, colocou-a no colo e disse:
'Lembrem-se disto: se vocês não mudarem de vida e não se tornarem como crianças...'"
Por falar em mudanças... em (tornar a)ser 'criança'... Sugiro, pra quem queira e ainda não tenha feito, assitir o filme "Ponte para Terabítia"... Muito querido, forte, simples, complexo, amável, cheio de esperança, de sonhos, de realidades e abstrações...

7 de outubro de 2007

(des)Caminhos...

Por Onde Andei
Nando Reis

Desculpe estou um pouco atrasado
Mas espero que ainda dê tempo
De dizer que andei errado e eu entendo
As suas queixas tão justificáveis
E a falta que eu fiz nessa semana
Coisas que pareceriam óbvias até pr'uma criança...

4 de outubro de 2007

Mulher de Ló?

Depois De Nós
Carlos Maltz

Hoje os ventos do destino começaram a soprar,
Nosso tempo de menino foi ficando para trás...
Com a força de um moinho que trabalha devagar,
Vai buscar o teu caminho, nunca olha para trás.
Hoje o céu está pesado, vem chegando temporal,
Nuvens negras do passado, delirante flor do mal...
Cometemos o pecado de não saber perdoar,
Sempre olhando para o mesmo lado feito estátuas de sal...

3 de outubro de 2007

Do contra...!

(Roda Viva - Chico Buarque)
Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu;
A gente estancou de repente,
Ou foi o mundo então que cresceu?
A gente quer ter voz ativa,
No nosso destino mandar.
Mas, eis que chega a roda viva
E carrega o destino pra lá...
A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir,
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir.
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há,
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a roseira prá lá...
Ps.: "Você abusou... tirou partido de mim, abusou...
Mas não faz mal, é tão normal ter desamor..."

1 de outubro de 2007

Deus está presente!!!

Se acaso não compreendo
teu proceder...
De Ti não me desprendo,
do Teu poder...
(Julie von Hausmann)
Vem, filho amado,
Vem em meus braços descansar...
E, bem seguro, te conduzirei ao meu altar...
Com meu amor te envolverei...!

27 de setembro de 2007

Saber


"Deus ultrapassa todo o entendimento, mas não o suprime..."
Maria Clara, teóloga


25 de setembro de 2007

A Prumo

Já É
(Lulu Santos)

sei lá...
tem dias que a gente olha pra si.
e se pergunta se é mesmo isso aí.
que a gente achou que ia ser
quando a gente crescer
e nossa história de repente ficou
alguma coisa que alguem inventou
a gente não se reconhece ali
no oposto de um déjà vu
sei lá
tem tanta coisa que a gente não diz
e se pergunta se anda feliz
com o rumo que a vida tomou, no trabalho e no amor
se a gente é dono do proprio nariz
ou espelho é que se transformou
a gente não se reconhece alí
no oposto de um vis a vis
por isso eu quero mais
não dá pra ser depois
do que ficou pra trás
na hora que já é!

20 de setembro de 2007

(quase) Sem Querer...

... não sou mais tão criança a ponto de saber tudo.
Sei que, às vezes, uso palavras repetidas...
Mas quais são as palavras que nunca são ditas?
Já não me preocupo se não sei por que
às vezes o que eu vejo quase ninguém vê.
Eu sei que você sabe quase sem querer,
que eu vejo/quero o mesmo que você...
(Renato Russo)

'...estar...'

Num instante minh’alma se revolta dentro de mim como se, sentindo-se presa e/ou reprimida, buscasse a liberdade, tornando-se alada (será que ainda não é?)... O que se passa?



Preciso me dar o privilégio de ter uma gaita de boca por companhia pra esses momentos de... (?)

Entropia...

Eu E Mim
(Rita Lee / Roberto De Carvalho)

No espelho não é eu, sou mim.
Não conheço mim, mas sei quem é eu, sei sim.
Eu é cara-metade, mim sou inteira.
Quando mim nasceu, eu chorou, chorou.
Eu e mim se dividem numa só certeza.
Alguém dentro de mim é mais eu do que eu mesma.
Eu amo mim, mim ama eu...
Quem dentro de mim é mais eu que eu mesma?


18 de setembro de 2007

Momentos...


"Quando a tristeza vir, dar um brilho à solidão,
tirar o sono ou ofuscar a razão...
Difícil acreditar no que pode acontecer
pois a alegria vem em dobro a cada amanhecer!!"

"O interesse de Deus e o Seu cuidado por nós duram
a vida inteira. Podemos passar por momentos
difíceis, de grande tristeza, mas Ele logo nos
devolve a alegria!" Salmo 30.5


17 de setembro de 2007

Mais que '(in)depender'...


Tranqüilidade...

"De certo modo, você me dispensa de escrever. Resta o consolo de pensar que se eu fosse capaz como você de dizer o indizível, eu teria a dizer certas coisas que você ainda vai dizer. E me limito a ficar esperando."
(de Fernando Sabino para Clarice Lispector, em 'Cartas Perto do Coração')

Convergência...


Menino Sorriso



"O que existe de mais belo que um sorriso sincero, que aflora como expressão de uma alegria interior radiante?"

Ps.: Henrique - 'artista' gentilmente criado por Deus, através de seus pais, Regiana e Cristiano.

...




Que sempre haja trabalho
para suas mãos realizarem.
Que você sempre possua
uma ou duas moedas.
Que o sol sempre brilhe
em sua janela.
Que após cada chuva
sempre brilhe um arco-íris.
Que uma mão amiga sempre
esteja estendida para você.
Que Deus encha seu coração
de alegria e o anime.

(Bênção Celta)

15 de setembro de 2007

"The Mask and Mirror"

Bom álbum... Apreciem... Ela é engraçada, mas talentosa...


http://www.amazon.com/exec/obidos/ASIN/B000002MMS/bus-20

Do que se trata?

[...]
Quando a esperança está dispersa,
Só a Verdade me liberta...
Chega de maldade e ilusão!

Venha,
O amor tem sempre a porta aberta,
E vem chegando a primavera...
Nosso futuro recomeça.
Venha, que o que vem é perfeição.
(Renato Russo)

[...]
Lá o tempo espera... Lá é primavera...
Portas e janelas estão sempre abertas pra sorte entrar...
Em todas as mesas, pão...
Flores enfeitando os caminhos, os vestidos, os destinos...
(Marisa Monte)

14 de setembro de 2007

Amigas Intrépidas...

... são aquelas que te fazem esquecer até a "etiqueta"... Hehehehe...
E agora? Vocês colocaram uma dúvida naquilo que já estava decidido na minha cabeça!!! O que eu faço? Nãnãninãnaum.... Isso não se faz! Mas... se isso vocês querem saber... foi bom... Satisfeitas?? Eu sim. :)

13 de setembro de 2007

... acuidade...


"A vida tem sons que pra gente ouvir,
Precisa aprender a começar de novo...
É como tocar o mesmo violão,
E nele compor uma nova canção...
Que fale de amor,
Que faça chorar,
Que toque mais forte esse meu coração..."

(Roupa Nova - Começo, Meio e Fim)

... e teve bolo!!!

Pra festejar pessoas queridas... Helena, dia 07... Laís e Helena Cristina, dia 13... ;)

Chama...

(Ricardo Feghali - Nando)

Pelo brilho da manhã
Sinto a acesa a chama
Tenho você aqui
Novamente aconteceu
Uma luz antiga
Que nunca se apagou
Fogo no coração

Vai
E avisa a todo mundo que encontrar
Que existe ainda um sonho pra sonhar
E que amor não acabou
Vai
E espalha a novidade pelo ar
Que ela torne o mundo todo azul
E que seja tudo amor

Quanto tempo eu esperei
Sem achar saída
Preso na escuridão
Pelo brilho do olhar
Eu recebo a chama
Viva do seu amor
Fogo no coração

11 de setembro de 2007

Flook


Num destes dias passados, encontrei, por acaso, o site de uma galera que faz "desenhos melódicos" muito interessantes... Para os meus ouvidos a música deles soou muito bem! Abaixo, estão os últimos trabalhos deles. Experimentem!!!Depois... contem pra mim como foi a 'experiência auditiva'...

http://www.flook.co.uk/cdtracks.html

Siga o Sol...

Siga O Sol
Claudio Venturini, Vermelho E Alvin


Ainda é cedo,
Temos tempo, vamos viajar.
Sinta o vento
Que sopra e pode nos levar.
Faça um pedido,
Um dia pode acontecer;
Fique comigo,
Anoiteça e quando amanhecer,
Siga o sol!
Ainda é cedo
Mesmo quando é tarde pra ficar.
Sinta o tempo
Passar por nós sem nos tocar.
Corra o risco
De viver sem ter que pertencer;
Ache o motivo,
Seja livre e se amanhã chover,
Siga o sol!
Ainda é cedo
Mesmo quando o dia acabou,
Um dia não é só o tempo que passou...
Quando escurecer,
Mesmo assim siga o sol!

10 de setembro de 2007

impacto transbordante...


Tempo para Tudo

Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião.
Há tempo de nascer e tempo de morrer;
Tempo de plantar e tempo de arrancar;
Tempo de matar e tempo de curar;
Tempo de derrubar e tempo de construir.
Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar;
Tempo de chorar e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las;
Tempo de abraçar e tempo de afastar.
Há tempo de procurar e tempo de perder;
Tempo de economizar e tempo de desperdiçar;
Tempo de rasgar e tempo de remendar;
Tempo de ficar calado e tempo de falar.
Há tempo de amar e tempo de odiar;
Tempo de guerra e tempo de paz.
Eclesiastes 3.1-8

"Certas Coisas" certas...

Pois bem.
Feriadão intenso terminando... Rotina voltando para ser re-inventada mais uma vez...
Muito poderia ser escrito, mas... no caso de pessoas como eu que não possui uma habilidade tão grande assim no trato com as palavras, talvez elas próprias transformem-se em armadilhas para diminuir ou ofuscar a intensidade dos momentos vividos... Por isso vou pedir emprestado dos poetas o que eles tem de mais precioso - o olhar privilegiado sobre a simplicidade das coisas que nos fazem felizes - para tentar compartilhar...
Ainda há mais para dizer, mas ainda to construíndo minha idéia e ouvindo meu coração para encontrar as palavras certas aqui dentro... elas estão aqui, em algum lugar...
Mas... o principal, foi sentir/ter/ver pessoas queridas reunidas...

Certas Coisas
Lulu Santos/Nelson Motta

Não existiria som
Se não houvesse o silêncio
Não haveria luz
Se não fosse a escuridão
A vida é mesmo assim,
Dia e noite, não e sim...
Cada voz que canta o amor não diz
Tudo o que quer dizer,
Tudo o que cala fala
Mais alto ao coração.
Silenciosamente eu te falo com paixão...
Eu te amo calado,
Como quem ouve uma sinfonia
De silêncios e de luz.
Nós somos medo e desejo,
Somos feitos de silêncio e som,
Tem certas coisas que eu não sei dizer...

4 de setembro de 2007

Boas Novas!!


Sol De Primavera (Ronaldo Bastos)
Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou
Juntos outra vez
Já sonhamos juntos
Semeando as canções ao vento
Quero ver crescer nossa voz
No que falta sonhar
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção
Que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor
Só nos resta aprender

Pra lá da linha...

Linha Do Horizonte
Paulo Sergio Vale e Paraná
É eu vou pro ar,
No azul mais lindo eu vou morar.
Eu quero um lugar que não tenha dono,
Qualquer lugar...

(Quero estar bem perto quando o sol nascer
Curtir ao seu lado um novo amanhecer
Ter a liberdade de sair por aí
Sabendo que o melhor ainda está por vir
Reviver de novo o tempo que perdi
Não me impor a luz para onde luzir
Ter da vida só o que há de bom
A alegria agora vai me dar o tom)

Eu quero encontrar
A rosa dos ventos e me guiar;
Eu quero virar pássaro de prata
E só voar...

É aqui onde estou,
Essa é minha estrada por onde eu vou;
E quando eu cansar na Linha do Horizonte
Eu vou pousar...

2 de setembro de 2007

"Tuta" Loco, Tchê!!!

Nem tenho falado em futebol, mas... quando o INCRÍVEL acontece, merece registro!!!Foto: ClicRBS


1 de setembro de 2007

retina...

O Amanhã Colorido
(Duca Leindecker)

Olha a luz que brilha de manhã
Saiba quanto tempo estive aqui
Esperando pra te ver sorrir
Pra poder seguir
Lembre que hoje vai ter pôr-do-sol
Esqueça o que falei sobre sair
Corra muito além da escuridão
E corra, corra...

Não desista de quem desistiu
Do amor que move tudo aqui
Jogue bola, cante uma canção
Aperte a minha mão
Quebre o pé, descubra um ideal
Saiba que é preciso amar você
Não esqueça que estarei aqui
E corra, corra...

Azul, vermelho,
Pelo espelho a vida vai passar
E o tempo está no pensamento...

29 de agosto de 2007

'... láctea estrela...'

“Se as coisas são inatingíveis...ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A mágica presença das estrelas!”
(Quintana)

Alegria...


“Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças...”
(Fernando Pessoa)

Sabedoria do Alto...

O PATO SELVAGEM: “ Era uma vez um bando de patos selvagens que voava nas alturas. Lá de cima se via muito longe, campos verdes, lagos azuis, montanhas misteriosas e os pores-de-sol eram maravilhosos. Mas voar nas alturas era cansativo. Ao final do dia os patos estavam exaustos. Aconteceu que um dos patos, quando voava nas alturas, olhou para baixo e viu um pequenos sítio, casinha com chaminé, vacas, cavalos, galinhas... e um bando de patos deitados debaixo de um árvore. Como pareciam felizes! Não precisavam trabalhar. Havia milho em abundância. O pato selvagem, cansado, teve inveja deles. Disse adeus aos companheiros, baixou seu vôo e juntou-se aos patos domésticos. Ah! Como era boa a vida, sem precisar fazer força. Ele gostou, fez amizades. O tempo passou. Primavera, verão, outono, inverno... Chegou de novo o tempo da migração dos patos selvagens. E eles passavam grasnando, nas alturas... De repente o pato que fora selvagem começou a sentir uma dor no seu coração, uma saudade daquele mundo selvagem e belo, as coisas que ele via e não via mais: os campos, os lagos, as montanhas, os pores-de-sol. Aqui em baixo a vida era fácil mas os horizontes eram tão curtos! Só se via perto. E a dor foi crescendo no seu peito até que não aguentou mais. Resolveu voltar a juntar-se aos patos selvagens. Abriu suas asas, bateu-as com força, como nos velhos tempos. Ele queria voar! Mas caiu e quase quebrou o pescoço. Estava pesado demais para o vôo. Havia engordado com a boa vida... E assim passou o resto de sua vida, gordo e pesado, olhando para os céus, com nostalgia das alturas...” (Rubem Alves)
Quando o amor esfria, a esperança perde o foco, a fé vacila, e os corações ficam estéreis - de alegria e de sonhos - ... Ops!!! Bom momento para re-criar, re-ver, re-ciclar... Voltar para... Pertencer...

"Até os jovens se cansam, e os moços tropeça e caem;
mas os que confiam no Deus Eterno recebem sempre
novas forças. Voam nas alturas como águias, correm e
não perdem as forças, andam e não se cansam".
Isaías 40.30-31



Essência...

"...um verso da Cecília Meireles, do seu poema Sugestão:

“Sede assim – qualquer coisa
serena, isenta, fiel.
Flor que se cumpre, sem pergunta...“

Cumprir-se, sem fazer perguntas: que coisa mais comovente! E nós, tolos, que nunca chegamos a nos cumprir, por termos a necessidade de ter todas as respostas primeiro. Walt Whitmann dizia que uma Morning Glory pela manhã, na sua janela, lhe dava mais felicidade e sabedoria que todos os livros de filosofia. Alberto Caeiro, cuja poesia tem a clara intenção de enfeitiçar os nossos olhos para que voltemos a ver como as crianças viam, dizia que o olhar tem de ser nítido como um girassol. Ah! Os girassóis de van Gogh! E é assim que Ricardo Reis termina o seu mais belo poema:

“Colhamos flores.
Molhemos leves
as nossas mãos
Nos rio calmos,
Para aprendermos
Calma também.
Girassóis sempre
Fitando o Sol,
Da vida iremos
Tranquilo, tendo
Nem o remorso
De ter vivido...“

Quando houver oportunidade falarei sobre outras coisas que outros pensaram e fizeram, provocados pela simples contemplação das flores. Você já se deu a essa aventura?"

www.rubemalves.com.br/quartodebadulaquesVI.htm

28 de agosto de 2007

Lui Coimbra lembra essa música...

Drop's de Hortelã
Oswaldo Montenegro

Eu andava meio estranho
Sem saber o que fazia, eu não sei...
Andava assim, eu não sei,
Se era feliz.
Eu achava que faria uma canção
E a melodia, eu não sei...
Andava assim, eu não sei,
Se era feliz.
Eu achava que faria tudo que não sei,
Que amaria, eu não sei, fazer desenhos com giz.
Eu achava que faria uma canção nissei (não sei),
Eu me sentia, eu não sei, um americano em Paris.
Eu achava que tamanho tinha a ver com poesia, eu não sei...
E toda vida eu deixei a vida entrar no nariz.
Me mandei pra Curitiba, e como gosto dessa vida!
Ah! Eu sei que paixão que eu falei me lembra o anis.
Fiz um drops de hortelã da bala que eu te dei,
Para atirar no porém da frase que eu nunca fiz.

Relíquias '107.9'

Ouro E Sol
Zeca Baleiro E Lui Coimbra


Quando o sol chegar
E acender o céu
Claro céu sem fim
Flores sem razão
Vão despetalar
Você vai lembrar de mim

Vai lembrar de mim
Quando azul sem fim
O mar e o vento oeste
Murmurarem sim
Vai lembrar de mim
Nosso sonho de ouro e sol

Era carnaval
E no meu quintal
Soprava o vento oeste
Na janela, luz
Dias tão azuis
Nós andamos sobre o sol

Sem olhar pra trás
Parecendo iguais
Ao sol da tarde oeste
A rolar no chão
Nosso coração
Se tingiu de ouro e sol

Nem juras de felicidade
Nem ilusões de paraíso
Um sorriso e pra sempre levar
Nosso olhar de ouro e sol

Os anos se vão
Dias passarão
Tardes assim
O sol se distrai
Vem a noite e cai
Você vai lembrar de mim

Vai lembrar de mim
Quando em seu jardim
Soprar o vento oeste
Um velho jasmim
Claro céu sem fim
Nós andamos sobre o sol

27 de agosto de 2007

"In Preludium"...

Solidão
(Alceu Valença)

A solidão é fera, a solidão devora,
É amiga das horas, prima, irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração...
Solidão...
A solidão dos astros
A solidão da Lua
A solidão da fera
A solidão da noite
A solidão da rua
A solidão é fera....

26 de agosto de 2007

Pedale...

Pra quem já conhece, vale a pena uma 're-leitura'.
E se é novidade, bom 'passeio'...
Em princípio, eu via Deus como um observador, um juiz que não perdia de vista as coisas erradas que eu fazia. Desse modo, quando eu morresse, ele saberia se eu merecia ir para o Céu ou para o Inferno. Ele estava sempre lá, como um presidente: eu reconhecia a imagem dele quando a via, mas não o conhecia de verdade.
Mas, mais tarde, quando eu o conheci melhor, pareceu que a vida era como um passeio de bicicleta para duas pessoas e percebi que Deus estava no banco de trás, me ajudando a pedalar.
Não lembro quando ele sugeriu-me que trocássemos de lugar, e a vida não foi a mesma desde então... A vida com o seu poder superior tinha se tornado muito mais excitante!! Quando eu detinha o controle, sabia o caminho. Era um tanto entediante, mas previsível – sempre a distância mais curta entre dois pontos. Mas quando Deus assumiu a liderança (Ele conhecia atalhos maravilhosos!!) passei a subir montanhas e atravessar terrenos pedregosos em velocidade vertiginosa! Tudo que eu podia fazer era seguir em frente! Embora tudo aquilo parecesse loucura ele ficava dizendo: “Pedale! Pedale!”
Eu ficava preocupado e ansioso, e perguntava: “Para onde o Senhor está me levando?” E Deus apenas sorria e não me dava uma resposta, e eu me vi começando a confiar nele. Logo me esqueci da minha vida entediante e comecei a participar da aventura. Quando dizia que estava assustado, Ele virava-se para trás e tocava minha mão.
Deus levou-me até pessoas com dons de que eu precisava; dons de aceitação e alegria, entre outros. Essas pessoas deram-me ajuda para prosseguir na minha jornada. Isto é, nossa jornada: de Deus e minha. E nós partimos novamente. Então Ele me disse: “Desfaça-se dos dons, são bagagem extra, pesam demais!” Então eu os dei para as pessoas que encontramos e descobri que quanto mais eu compartilhava, mais eu recebia! E, além disso, o meu fardo ficava mais leve.
A princípio, eu não confiei muito em Deus quando ele assumiu o controle da minha vida. Achei que ele a destruiria. Mas o Senhor conhecia os “segredos” da bicicleta, sabia como incliná-la para fazer curvas fechadas, pular para evitar lugares cheios de pedras, aumentar a velocidade para encurtar os caminhos difíceis. Também estou aprendendo a calar-me e pedalar nos lugares mais complicados e aprendi a apreciar a paisagem e a brisa fresca em meu rosto com o meu ótimo e constante companheiro.
E, quando estou certo de que não posso mais seguir em frente, Ele apenas sorri e diz: “Pedale!”
(Desconheço a origem do texto)

24 de agosto de 2007

Real...?

metáfora...

"Mas não era bem isto que eu queria. Queria o jardim dos meus sonhos, aquele que existia dentro de mim como saudade. O que eu buscava não era a estética dos espaços de fora; era a poética dos espaços de dentro. Eu queria fazer ressuscitar o encanto de jardins passados, de felicidades perdidas, de alegrias já idas. Em busca do tempo perdido... Uma pessoa, comentando este meu jeito de ser, escreveu: "Coitado do Rubem! Ficou melancólico. Dele não mais se pode esperar coisa alguma..." Não entendeu. Pois melancolia é justamente o oposto: ficar chorando as alegrias perdidas, num luto permanente, sem a esperança de que elas possam ser de novo criadas. Aceitar como palavra final o veredicto da realidade, do terreno baldio, do deserto. Saudade é a dor que se sente quando se percebe a distância que existe entre o sonho e a realidade. Mais do que isto: é compreender que a felicidade só voltará quando a realidade for transformada pelo sonho, quando o sonho se transformar em realidade. Entendem agora por que um paisagista seria inútil? Para fazer o meu jardim ele teria que ser capaz de sonhar os meus sonhos...
Sonho com um jardim. Todos sonham com um jardim. Em cada corpo, um Paraíso que espera... Nada me horroriza mais que os filmes de ficção científica onde a vida acontece em meio aos metais, à eletrônica, nas naves espaciais que navegam pelos espaços siderais vazios... E fico a me perguntar sobre a perturbação que levou aqueles homens a abandonar as florestas, as fontes, os campos, as praias, as montanhas... Com certeza um demônio qualquer fez com que se esquecessem dos sonhos fundamentais da humanidade. Com certeza seu mundo interior ficou também metálico, eletrônico, sideral e vazio... E com isto, a esperança do Paraíso se perdeu. Pois, como disse o místico medieval Angelus Silésius:
'Se, no teu centro um Paraíso não puderes encontrar, não existe chance alguma de, algum dia,nele entrar'.
Este pequeno poema de Cecília Meireles me encanta, é o resumo de uma cosmologia, uma teologia condensada, a revelação do nosso lugar e do nosso destino:
"No mistério do Sem-Fim,
equilibra-se um planeta.
E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro:
no canteiro, urna violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,
entre o planeta e o Sem-Fim,
a asa de urna borboleta."
Metáfora: somos a borboleta. Nosso mundo, destino, um jardim. Resumo de uma utopia. Programa para uma política. Pois política é isto: a arte da jardinagem aplicada ao mundo inteiro. Todo político deveria ser jardineiro. Ou, quem sabe, o contrário: todo jardineiro deveria ser político. Pois existe apenas um programa político digno de consideração. E ele pode ser resumido nas palavras de Bachelard: "O universo tem, para além de todas as misérias, um destino de felicidade. O homem deve reencontrar o Paraíso."
(Rubem Alves, O retorno eterno, p 65).