9 de novembro de 2007

Poema de Natal...

por Vinícius de Moraes...

Para isso fomos feitos:
para lembrar, e ser lembrados,
para chorar e fazer chorar,
para enterrar os nossos mortos...
Por isso temos braços longos para os adeuses,
mãos para colher o que foi dado,
dedos para cavar a terra...
Assim será a nossa vida:
uma tarde sempre a esquecer,
uma estrela a se apagar na treva,
um caminho entre dois túmulos...
Por isso precisamos velar,falar baixo,pisar leve,
ver a noite dormir em silêncio,
não há muito o que dizer:
uma canção sobre um berço,
uma verso talvez de amor,
uma prece por quem se vai...
mais que essa hora não esqueça
e por ela os nossos corações se deixem graves e simples,
pois para isso fomos feitos:
para a esperança do milagre,
para a a participação da poesia,
para ver a face da morte.
De repente nunca mais esperaremos!
Hoje a noite é jovem
Da morte apenas nascemos...imensamente...

7 comentários:

Alice disse...

Sabe, Vinicius marcou minha vida em inúmeros momentos, e sempre é bom relembrá-lo..... gostei demais daqui, posso add aos meus links ??
abraços pra ti.

la... disse...

Gostaste? Que alegria!! És sempre bem-vinda, podes adicionar sim...
Um abraço

Laurinha disse...

Eu queria te contar: não morri ainda - passei essa semana viajando... Passei pelas luas de Saturno de noite, linda a iluminação de Natal que eles colocaram... :)

Ah, eu vi o filme do Fauno... Lindo!

Laurinha disse...

2 posts novos, e nem me respondeu!

Eu disse que eu vi um Fauno!!!!!! :(

la... disse...

Ai... perdoa-me o lapso...
O dia ontem foi atípico; não justifica, eu sei, mas...
Posso assitir o Fauno então? É lindo? Mas não é muito triste? Humm... Agora fiquei curiosa...
E Terabítia??? Já viajaste para lá ou não?

la... disse...

Ps.: 1º - gostei de "eu queria te contar"... ;)
2º - a viagem foi boa? Iluminação de Natal? Já?

Laurinha disse...

Hahahaha! Agora eu vi... :D