5 de julho de 2007

Quem?

Sol e Vento apostam:
Qual deles será capaz de arrancar o grosso casacão de um caminhante, num dia gelado?
?????????????????????

O que é isso, criatura?!!?



Olha essa.
Vladimir Lênin, reducionista de um tipo inteiramente distinto, não tolerava uma flor sequer em seu quarto. “Não posso ouvir música com muita freqüência”, confessou, após assistir a uma apresentação da sonata Apassionata, de Beethoven. “Faz-me querer dizer coisas estúpidas, coisas gentis, e dar tapinhas na cabeça das pessoas. Hoje em dia, porém, devem-se dar pancadas em suas cabeças, espancá-las sem misericórdia.”
(Extraído do livro Rumores de Outro Mundo, Philip Yancey – Editora Vida)



Se a música tem mesmo esse poder de influência, então... Muita música pra todos!!!
Fala sério!!
Põe mais melodias nessa vida, né?!!

1 de julho de 2007

Imagem e Sonho!!!



Se o Tholl é muuuito bom, imagina o que será o tal "Cirque du Soliel"??!!!!!
Sensacional!!!
A galerinha faz loucuras e misérias no palco e faz parecer que é apenas uma brincadeira!!!! Incrível!!!
Quem ainda não assistiu este espetáculo, por favor!!!
Todos merecem este presente!!!
A garotada é por demais habilidosa, graciosa, corajosa, ... Tudo é muito bonito: as pessoas, o figurino, as luzes, a trilha sonora, ... o antes, o durante, o depois, ...
Este circo é bom, faz bem pra alma, pro coração...
Não deixem de prestigiar quando tiverem a oportunidade!!!
"Tholl - imagem e sonho, venha viver esse momento mágico!"
E, maio de 2008, Cirque de Soleil em POA. Dá prá perder uma chance dessas?? Acho que não, hein!!! Vamos?

... perceber...



Aprendendo A Viver

(Renato Teixeira)


O gesto que agradece o dado
O ato que engradece o fato
A luz que guia o meu sapato
O passo
é um laço


As grandes pedras do caminho
A sensação de embaraço
A intimidade de um abraço
O pacto
O rapto


As coisas do mundo
Vão se traduzindo
E o tempo é o vento
que vai conduzindo
E a gente navega
nos mares da vida
aprendendo a viver


Um dia se ama
outro dia se chora
É triste demais
quando alguém vai embora
A alma do tempo
é uma luz que se acende
na escuridão


O tempo de plantar os sonhos
A hora mestra do momento
A voz do povo não pergunta
Apenas
comenta


O gestual da ousadia
O verso inverso da poesia
O lado oculto do silêncio
O lenço
A lágrima


Então o justo é ir embora
se assim quiser seu coração
Palavras abrirão caminhos
Por entre
os espinhos


Não tema o jeito do destino
Viver é só um fingimento
E tudo é só uma lembrança
Imagens...
Momentos...


Bonitinha, né?!
Conheciam?